6 coisas que você pode ensinar a sua filha sobre seu corpo

As meninas não serão meninas para sempre. E como sua filha se transformará em uma mulher, você precisa conversar com ela sobre as mudanças corporais que virão, a menos que prefira que ela aprenda tudo sobre o próprio corpo na TV ou na Internet… Listamos seis tópicos que julgamos relevantes para garantir que ela obtenha a informação que precisa sobre o seu corpo em desenvolvimento:

  1. Comece cedo

“Você pode começar com apenas 3 anos de idade, dando o nome certo às partes do corpo. Não há necessidade de ir além, mas a sua filha deve saber que a vagina ‘se chama’ vagina e onde está localizada, deve saber também a diferença entre meninos e meninas. Isso vai ajudá-la a estabelecer que não há nada para se envergonhar quando o assunto é o próprio corpo”, informa a ginecologista e obstetra, Cris Carneiro (CRM-SP 59.336).

  1. Prepare-a para o momento da primeira menstruação

“Hoje, muitas meninas já menstruam aos 9 ou 10 anos de idade. É importante ter certeza de que elas estão cientes do que isso significa. Diga-lhes que, quando elas começam a menstruar, elas estão entrando na fase de maturidade sexual e elas devem estar atentas aos sinais de desenvolvimento comuns dessa fase: pêlos pubianos, brotos mamários, mudanças de humor e acne”, ensina a médica.

  1. Fale sobre sexo no contexto de um relacionamento amoroso maduro

“Ao falar com sua filha sobre sexo, não esqueça de enquadrar o tema no contexto de um relacionamento saudável. Ressalte que quando duas pessoas se amam, o sexo pode ser uma bela expressão desse sentimento e que nunca deve haver um momento em que ela se sinta desconfortável ou pressionada a fazer qualquer coisa”, afirma Cris Carneiro.

  1. Fale sobre a sua primeira consulta com o ginecologista

“Para muitas jovens, a primeira consulta com o ginecologista – geralmente quando se tornam sexualmente ativas – pode ser uma experiência invasiva, para dizer o mínimo. É importante escolher um médico que você conhece e confia, é igualmente importante preparar a sua filha para os exames. Deixe que ela saiba o que ela deve e não deve esperar quando ela estiver sendo examinada”, orienta a ginecologista.

  1. Explique as diferenças entre infecções fúngicas e doenças sexualmente transmissíveis

“Infecções fúngicas são extremamente comuns em mulheres e ocorrem quando há um crescimento excessivo das leveduras que existem na vagina. Explique à sua filha o que faz com que isso aconteça e como essas infecções podem ser tratadas com um antifúngico vaginal, após o diagnóstico do ginecologista. Já as doenças sexualmente transmissíveis exigem vigilância constante e a prática de sexo seguro. Se ela achar ou suspeitar que tem uma doença sexualmente transmissível, ela precisa se sentir segura e contar isso para você o quanto antes, pois é necessário ir ao médico o mais rápido possível”, defende Cris Carneiro.

  1. Discuta e ensine as noções básicas de higiene vaginal

“Muitas mulheres se preocupam com a aparência e o cheiro de suas vaginas e buscam sabonetes, perfumes e cosméticos para as partes íntimas. A verdade é que vaginas não devem cheirar como uma floresta tropical ou um buquê de rosas. Diga à sua filha que os aromas vaginais normais podem variar de almiscarado para metálico, tudo depende do equilíbrio químico do corpo e do pH, que é único. O único odor que é decididamente anormal é um cheiro forte e desagradável. Isso pode indicar que a mulher tem uma infecção, como a vaginose bacteriana, caso em que deve procurar um médico”, ensina a ginecologista. 

Publicado em Notícias e marcado , , , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *