Candidíase em idade pediátrica

 

  1. Quais são as crenças populares mais frequentes no Brasil sobre a candidíase?

A mais frequente é que se “pega” candidíase e acredita-se inclusive que seja uma doença sexualmente transmissível, o que é uma total inverdade. A Candida sp é um fungo que faz parte da flora normal da boca, trato gastrointestinal e pele que em condições normais não cauda qualquer problema. Em casos em que há um desbalanço da flora, uma alteração na imunidade do indivíduo ou um excesso de oferta de alimento (açúcar) há um aumento na população da cândida e instala-se o quadro de candidíase.

  1. É uma doença dolorosa para bebês e crianças? Como evitar que sofram?

O quadro de candidíase provoca um processo inflamatório intenso o que provoca dor no caso da candidíase oral dificultando inclusive a ingestão de alimentos e água. O melhor é a prevenção esterilizando bicos de mamadeira, chupetas e talheres dos bebês, lavar as mãos antes de manipulá-los, não beijar as crianças na boca, escovar os dentes das crianças pelo menos 2x ao dia, limpar a boca dos bebês com gase.

  1. A criança pode ir para escola? A doença é contagiosa? Quais providências devem ser tomadas?

A candidíase não é contagiosa, já que a Candida sp faz parte da flora de todos e a candidíase é um desbalanço nesta flora no qual a cândida cresce mais do que o normal, assim não há impedimento para a criança ir à escola se estiver bem. Há casos mais graves que ela pode ter febre, ficar mais caída pela dor, mas são casos raros. Deve-se instituir o tratamento o mais rápido possível.

  1. A alimentação da criança influencia no quadro de candidíase?

Crianças que comem muito doce e não escovam os dentes com frequência tem uma tendência a desenvolver candidíase oral com mais facilidade, pois a cândida se alimenta do açúcar e com uma maior oferta de alimento há uma facilidade maior de crescimento.

Publicado em Notícias e marcado .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *